EU


quarta-feira, 23 de março de 2011

Todo o meu amor para ti .

Meu amor, que surjam as pedras, pois elas são teimosas, quase onipresentes ao longo da vida. Mas sei que, para nós, nunca haverá "o fim do caminho", porque tenho a certeza de que estamos suficientemente apaixonados e preparados para enfrentar qualquer obstáculo e, citando novamente a clássica canção de Jobim, que o mês de março signifique sempre "o projeto da casa", "o corpo na cama". Nossa casa, nossos corpos. Na mesma casa, na mesma cama...
Não tome esta minha declaração de sincero amor como uma conversa vulgar, como uma "conversa ribeira", pois mês a mês, sinto que todas as águas que desabam sobre nós março-após março, em forma de chuva ou cachoeira, servem apenas para levar de nossas almas todo o mal, para lavar os nossos corpos do tedioso ranço do cotidiano, que às vezes tenta se sobrepor e ofuscar a força deste amor infindo que nos une.
Que venham as chuvas e os granizos, que se avolumem os rios e as cascatas, que se elevem as marés e que as ondas salpiquem de sal as peles e as calçadas, que as águas de março produzam um dilúvio de amor, porque desde que eu te conheci tive a certeza de que o nosso amor navegaria nessas águas; assim como seria capaz de curtir o sol ardente de janeiro, o carnaval de fevereiro, a primavera em setembro e a felicidade plena, por toda a eternidade.
Te amo .

2 comentários:

mara disse...

vc é mais que sonhei...........
é mais que pensava cardo.......

eu amo vc ........

Ricardo Oliveira disse...

Vc e a mulher da minha vida Mara, fostes enviada por DEUS para iluminar a minha vida.